75 anos de John Cazale

Nossa, John Cazale era realmente um ator fascinante. Preferido de Al Pacino, trabalhou com ele em três ocasiões no cinema (The Godfather I/ II e Dog Day Afternoon). Além dos três filmes citados, teve grande importância em mais dois: The Conversation, também de Francis Ford Coppola no auge, e The Deer Hunter, o grande vencedor do Oscar de 1979 – neste último, já estava debilitado com o câncer: não parou, porém, de atuar, em um ato de devoção, apresentou mais uma grande performance ao lado de sua então noiva, Meryl Streep. John Cazale é aquele tipo de ator que não precisa dizer uma palavra para expressar a mais perfeita condição de seus personagens, sua sensibilidade emocional transmitia uma profunda e genuína tristeza de pessoas que simplesmente não conseguiram se ajustar na sociedade (ou no clã, como Fredo Corleone). Morreu com apenas 42 anos, mas sem dúvidas foi um dos maiores de sua geração – sua curta, porém intensa filmografia não permite qualquer discordância.

Anúncios

2 comentários sobre “75 anos de John Cazale

    1. Desses cinco, Dog Day Afternoon é aquele que eu preciso mesmo rever. Vi quando tinha uns 13 anos, mas lembro que fiquei bastante impressionado e com muita pena dos dois ladrões, mais ainda do Cazale, com aquela carinha de cachorro leal e perdido no mundo.

      Palavras de Sidney Lumet:

      “In the screenplay, Cazale’s role was written to be a smart-ass street kid. But Al came to me and said, ‘Sidney, please, I beg you, read John Cazale for it.’ And when John came in I was so discouraged and thought ‘Al must be out of his mind.’ This guy looks thirty, thirty-two, and that’s the last thing I want in this part. But Al had great taste in actors, and I hadn’t yet seen him in the Godfather. And Cazale came in, and then he read, and my heart broke. . . .

      “One of the things that I love about the casting of John Cazale … was that he had a tremendous sadness about him. I don’t know where it came from; I don’t believe in invading the privacy of the actors that I work with, or getting into their heads. But my god – it’s there – in every shot of him. And not just in this movie, but in Godfather II also.

      “When Al asked him during a scene, ‘Is there any country you want to go to?’ Cazale improvised his answer by saying, after long thought, ‘Wyoming.’ To me that was the funniest, saddest line in the movie, and my favorite, because in the script he wasn’t supposed to say anything. I almost ruined the take because I started to laugh so hard… but it was a brilliant, brilliant, ad lib.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s