Bogart e uma lição

I’m not good-looking. I used to be, but not anymore. Not like Robert Taylor. What I have got is I have character in my face. It’s taken an awful lot of late nights and drinking to put it there. When I go to work in a picture, I say, ‘Don’t take the lines out of my face. Leave them there’.

Uma Aventura na África (John Huston, 1951)

– Pronto, Senhorita. Gostou?

– Se gostei?

– Da água espumosa das corredeiras.

– Nunca imaginei…

– Não a culpo por ter tido medo. Qualquer pessoa com juízo teria.

– Nunca imaginei que uma experiência física pudesse ser assim tão estimulante!

– Como, Senhorita?!

– Poucas vezes antes experimentei este tipo de excitação! Algumas vezes apenas, com os sermões do meu querido irmão, quando o Espírito Santo tomava posse dele!

– Quer dizer que está disposta a continuar?

– Naturalmente.

– Está louca, Senhorita?!

– Perdão?

– Sabe o que podia ter acontecido se tivéssemos batido em alguma rocha?

– Mas não batemos! Confesso-lhe que estou admirada com a sua perícia, senhor Allnut. Acha que se eu treinasse um pouco mais ao leme, algum dia poderia tentar?

– Senhorita, deixa eu te dizer uma coisa, estas corredeiras não são nada comparadas com as que se seguem! Pensando melhor, nem sequer as chamaria de corredeiras!

– Mal posso esperar!

(…)

Grandes filmes de verão #4

Mulheres bonitas, praias, piscinas, pôker, bares, cruzeiros, viagens em trens, essas coisas.

Um Convidado Bem Trapalhão (The Party, 1968)

As Três Noites de Eva (The Lady Eve, 1941)
Moscou Contra 007 (From Russia with Love, 1963)
O Perigoso Adeus (The Long Goodbye, 1973)
À Prova de Morte (Death Proof, 2007)
Amor, Sublime Amor (West Side Story, 1961)
Uma Aventura na Martinica (To Have and Have Not, 1944)